top of page
  • mircentrosulonline

Entrega de Cestas Básicas e Água do projeto SOS Ribeirinhos e Indígenas começaram nesta quinta-feira


Era por volta de 4h da manhã quando equipes de missionários e voluntários do MIR Centro-Sul se reuniam em oração na concentração antes da saída para a primeira parte da missão, pedindo proteção e as bênçãos de Deus para o início dos trabalhos, que começaram ainda na quarta-feira, quando cestas básicas e água mineral foram retiradas do Centro de Distribuição e levadas para um barco no município de Iranduba, região metropolitana de Manaus.


A primeira parada começou na base missionária Vale da Amazônia, em Iranduba, para onde foram enviadas cerca de 60 cestas básicas destinadas aos indígenas do Alto Solimões, em especial para a comunidade Vale da Betânia, onde vivem 5000 índios. O Vale da Amazônia é uma das instituições atendidas pela igreja e nessa missão de entregas, foi parceira ajudando no transporte do barco e etc.


Para a vice-presidente da Instituição, Pastora Neide Silva, esse trabalho é extremamente importante porque beneficia povos não alcançados e quem estão ilhados e isolados com a maior seca dos últimos 100 anos. “Nós estamos muito felizes porque vemos a mão de Deus por meio da ajuda dos irmãos que mais uma vez chega num momento difícil dos nossos ribeirinhos e indígenas. Onde governos não chegam o MIR Centro-Sul chega”, enfatizou a pastora.


A viagem seguiu. Ao longo do percurso era possível ver um cenário bem diferente. Ilhas, bancos de areia e barrancos davam lugar onde era rio, antes da águas secarem. O que piorou ainda mais a situação de quem já morava em áreas de difícil acesso. Como a comunidade de Pacatuba, que fica no Careiro da Várzea, região metropolitana de Manaus, uma das beneficiadas pelo projeto. Na comunidade vivem aproximadamente 70 famílias. De lá até onde barco conseguiu ancorar, os moradores precisaram caminhar aproximadamente umas 4 horas, para pegar uma cesta básica e água. Foi o caso do Leonardo Castro, 12 anos, ele é o mais velho da casa, ajuda a cuidar dos irmãos com a mãe, ele caminhou horas e horas para receber a ajuda. “A gente já não sabe o que é comer feijão e arroz há muito tempo. A gente tá muito feliz com essa ajuda”, salientou o adolescente com sorriso no rosto.


O sentimento de alívio do pequeno “Leo” foi compartilhado pelo pastor Ailton Silva, que cuida de uma igreja na comunidade de Pacatuba. Para ele a ajuda enviada pela igreja foi a provisão de Deus. “Todos nos aqui estamos ilhados e isolados. Tudo aqui ficou mais difícil. É triste ver os irmãos com a escassez, porque até a pesca ficou complicada. Louvamos a Deus pelas doações e agradecemos pela vida de quem contribuiu”, afirmou o pastor.


Durante a campanha, a igreja conseguiu arrecadar mais de 12 toneladas de alimentos e 6 toneladas de água. Um trabalho que começou semanas atrás após o pedido de ajuda de ribeirinhos e indígenas. A igreja não parou e começou uma mobilização nos cultos e redes sociais, por meio também do Serviço Social e “Amigos do Reino”, que já dão apoio à instituições carentes de Manaus mensalmente. “Os pedidos de ajuda foram chegando e fomos nos compadecendo dessas pessoas que foram castigadas demais com a estiagem jamais vista no Amazonas. Nós já ajudamos por exemplo indígenas e comunidades ribeirinhas, mas precisamos reforçar e montar um SOS urgente para supri-los, reforçou o apóstolo Arão Amazonas, presidente do MIRCS.


A Influenciadora Digital Ana Eliza Cavalcante acompanhou essa primeira etapa das entregas. Ela mobilizou os amigos e seguidores no Instagram onde contabiliza mais de 43 mil seguidores para entrarem na ação. A jovem influencer, conseguiu arrecadar bastante água e cestas básicas. Ana ficou impressionada com o que viu. “Eu não sou da igreja, mas Deus tocou o meu coração para ajudasse. E hoje, ver essas pessoas caminhando horas e horas debaixo de um sol quente, eu me emocionei demais, porque até crianças caminhando muito pra pegar alimento e água. Estou impressionada com esse trabalho feito pelo MIRCS e com o coração cheio de gratidão por ter participado de tudo isso”, ressalta Ana Eliza.


Essa primeira parte da missão atendeu quatro localidades que ficam em áreas de de difícil acesso do Careiro da Várzea. Entre elas, Pacatuba, Lago do Tucunaré , Lago do Cacau e Comunidade Curuçá. No total uma média de 200 cestas, o que corresponde a pouco mais de três toneladas de alimentos e três toneladas de água. Alem desse material, proteínas como frango, carne e ovos serão distribuídos também nesta sexta-feira para abrigos de crianças e idosos, de estrangeiros e casas terapêuticas. Uma média de três toneladas.


Para a pastora Lucineide Alves, assistente social que coordena os trabalhos, a missão mal começou e já é considerada um sucesso. “Nós queremos agradecer imensamente todos que contribuíram para a realização dessa obra. A gente fala de Jesus e leva alimento material também sempre à quem precisa. Essa já é a marca do MIR Centro-Sul, uma igreja generosa que não mede esforços para abençoar nossos irmãos ribeirinhos e indígenas”, reforça pastora Lucineide.


A missão continuará nesse fim de semana em outras comunidades e indígenas.


Veja as Comunidades que estamos atendendo:

-Curuça (Janauacá)

-Lago do Cacau (Janauacá)

-Curarizinho (Careiro da Várzea)

-Pacatuba (Careiro Castanho)

-Lago do Tucunare ( Autazes)

-Vila Betânia (Rio Içá)

-Comunidade Estrela da Paz (Jutaí)


“O que se compadece do pobre empresta ao Senhor, que lhe retribuirá o seu benefício.” (Provérbios 19:17)


Matéria Especial pela Jornalista Katiana Pontes que participou da missão.




FAÇA PARTE DESTA GRANDE OBRA!!!



Doações


Pix: online@mircentrosul.com

Banco: Banco do Brasil (001)

Agência: 4218-8

Conta Corrente: 1.212-2


Acesse nosso site e fique por dentro de tudo o que acontece: mircentrosulonline.com


Visite nossas Redes Sociais:

Instagram: @mircentrosul

Youtube: @MIRCENTROSUL

Facebook: mircentrosul


Cadastre-se como Membro Online do MIR Centro-Sul: https://www.mircentrosulonline.com/membro-online

265 visualizações
Em construção
bottom of page